Relação ataque x defesa no Handebol








A estrutura do rendimento nos jogos esportivos coletivos está caracterizada pela interação dos seus componentes, sendo que, a ênfase destes na competição é dada especialmente por aquelas capacidades ligadas ao comportamento tático, que é a essência do jogo. Referimo-nos às capacidades psíquicas (condução e regulação de ações), às capacidades técnicas (coordenação motora) e às capacidades táticas (elaboração de respostas e tomada de decisão) em função da própria situação de jogo.

O handebol agrega em sua dinâmica importantes relações entre os jogadores de uma mesma equipe (cooperação) e entre jogadores de equipes adversárias (oposição), nas quais são apresentados diferentes elementos técnico-táticos e sistemas de jogo para buscar constantemente o êxito

No jogo de handebol, as relações apresentam-se de forma complexa e o desenvolvimento dos elementos técnico-táticos individuais (que envolve apenas um jogador), grupais (que envolve dois jogadores) e coletivos (que envolve três ou mais jogadores) de uma equipe deve ser suficientemente simples para a compreensão por seus membros e complexos para os adversários.

Os defensores (nos diferentes jogos coletivos esportivizados –JCE– de invasão) têm objetivos pautados em princípios operacionais específicos: recuperar a posse da bola, impedir que o adversário se aproxime do alvo (gol) e evitar que o adversário anote o gol. Para contemplar tais princípios, os jogadores são distribuídos em postos específicos, que constituem o sistema defensivo da equipe, nos quais concatenam diferentes elementos técnico-táticos para ocupar equilibradamente os espaços da quadra e dificultar o desenvolvimento das ações ofensivas. Por esse motivo, a integração entre os diferentes elementos técnico-táticos defensivos deve ser compreendida por cada jogador, principalmente em relação ao aspecto agrupamento-dispersão (concentração e afastamento entre os jogadores), para que haja um equilíbrio espacial entre os jogadores, em profundidade e largura, em diversas regiões da quadra.

Os sistemas ofensivos são organizados para que os atacantes coordenem suas ações individuais e coletivas em busca do gol e assumam diferentes estruturas a partir de um comportamento tático flexível para surpreender os defensores. Basicamente os sistemas ofensivos são classificados em: 3:3 (clássico, padrão para os demais), 2:4 e 4:2 (que podem se consolidar a partir de modificações do 3:3 clássico, pela ocupação do posto de pivô por um armador ou ponta).

No handebol, as relações de cooperação e oposição apontam um cenário técnico-tático complexo, no qual há a constante busca dos jogadores pelo êxito. A disposição dos defensores em um sistema visa a estabelecer linhas gerais de atuação desses em seus postos específicos para dificultar o jogo coletivo adversário (e sua produção de espaços) e tentar recuperar a posse da bola. Destacam-se os esforços individuais e coletivos, manifestados pelos elementos técnico-táticos defensivos, que garantam uma boa continuidade do jogo defensivo e a possibilidade de jogar em igualdade ou superioridade numérica.

Leia textos sobre Handebol voltados para profissionais




Você não pode perder:

Ganhe o Ebook: Handebol - 25 jogos pré-desportivos
Receba os posts desse blog por email
Grupos de Whatsapp sobre vários Esportes


Comente:

Nenhum comentário